21 de setembro de 2017

O que se Planta...


Vou fazer uma pergunta importante pra você:
Qual é o seu problema hoje?


Vc sente falta de paz? Ou está faltando dinheiro?
Você se sente incompreendida? Falta cooperação?
Falta alegria? Ou propósito?


Nesta semana em que eu escrevo este artigo aconteceram dois casos com pessoas conhecidas.
Uma delas esqueceu um celular em uma agência de banco. A outra perdeu o celular em uma praça pública.
Uma delas teve o celular de volta. A outra chegou a combinar um lugar para o resgate, mas nunca mais viu o aparelho.
Nos dois casos os celulares foram encontrados por seres humanos.


Foi pela minha jornada de vida que eu aprendi que, para realmente entender alguma coisa, a gente precisa não julgar.


E, para não julgar, é necessário "olhar de fora".
Isso implica colocar em frente aos olhos (e ouvidos) aquele filtro de quem chega em um lugar completamente desconhecido, pra onde nunca foi antes.
Como chegar em um país estranho para conhecer a cultura local…
Mas, na verdade, o exercício funciona, mesmo, quando a gente olha pelos olhos de um extraterrestre.


Então eu convido você a vestir essa "fantasia" hoje.


Olhar para os seres humanos e o planeta como se estivesse invisível, olhando para a humanidade sem se envolver, sem emoções, de dentro sua nave espacial.


Você observa, em uma cidade enorme e tumultuada, duas pessoas encontrando dois aparelhos de comunicação que não são delas.


Você observa a dúvida no rosto delas... quem será que perdeu?


E a partir daqui você observa o caldo emocional que inunda cada uma dessas pessoas.


Você observa a que pensa em si mesma, e a que pensa na outra.
Você observa a que quer mais para si, e a que tem o impulso de fazer pela outra.


Mas sabe o que você observa, de verdade, nessa situação?


Você observa a escassez e a abundância sendo colocadas em prática.


E você, da sua nave, do alto das viagens no tempo-espaço, percebe que este planeta é um enorme jardim.


Percebe que a mente e as emoções das pessoas soltam sementes o tempo todo.


E você vê que aquela pessoa que pega o celular para si tem o sentimento de que está sempre faltando pra ela... por isso ela precisou aproveitar aquela oportunidade para pegar pra si um aparelho que não é dela.
Essa pessoa só sente escassez, então ela continua sentindo falta…
Falta amor, falta confiança... às vezes falta até comida.



E você vê que a outra pessoa, que plantou a semente de 'pensar no outro', da abundância de "tem pra todo mundo"... e vê que tem sempre alguém pensando nela.
Tem sempre alguém cuidando dela para que não falte o essencial, o amor e a alegria.



Porque a vida é um grande feedback…
E a Terra é um grande jardim.



Meio redundante e sem nenhuma novidade... vou trazer o ditado, muito verdadeiro:



"Cada um colhe o que planta".



Se esse ditado ao menos fosse compreendido, a gente estaria em um mundo melhor.



Mas o problema é:



Quem está consciente do que está plantando?



Você estava consciente quando plantou sua escassez? Seus problemas?



Mas como fazer pra estar mais consciente e plantar mais abundância, então?



Essa pergunta eu me fiz muitas vezes ao longo da minha vida.
Muitas vezes as coisas aconteciam comigo de uma forma tão injusta! Como eu podia ter plantado isso pra mim? Como eu posso fazer diferente?



Como se pode abrir mão da escassez e ter atenção pra abundância, nesse mundão em que a gente vive?



E a resposta não veio pronta, não.



Eu fui construindo essa consciência conforme fui observando a natureza



...e associando o que eu vejo aos métodos naturais de equilíbrio e cura que eu estudo.



Aprendi que a mente determina muito do que a gente chama de *realidade*...



...que a gente tem os mesmos problemas, coletivamente, porque usa os mesmos filtros de percepção de escassez na nossa mente...



...e que há infinitas realidades acontecendo agora mesmo, bem na nossa frente... mas que a gente só filtra uma ou duas.



Foi por isso que eu decidi "dar um tempo" no que é a "realidade" coletiva…
E resolvi criar um método de "plantio de realidades" na minha vida…



...que eu chamei de Jardinagem Afetiva :)



Onde eu planto jardins com consciência e amor… e isso se reflete trazendo mais verde no campo físico…



… e mais harmonia no campo emocional.



E o resultado é que eu comecei a colher muito mais flores do que os espinhos que eu tinha antes.



E comecei a me sentir mais confiante e mais próspera também.



Além de mais feliz :)



Então o que eu sei é que a gente pode plantar sementes melhores, diariamente…



...com amor, com alegria...



E pode estar na hora de você começar a colher sua paz pessoal, uma tranquilidade maior em relação ao dinheiro…
… E colher mais prazer na hora do trabalho, colher confiança nas relações, compreensão, respeito…



...Colher o que você acha certo pra você.



Então, se você quer saber mais sobre a jardinagem afetiva - gratuitamente - é só você se inscrever nesse link aqui abaixo:






Que você vai receber por email os primeiros passos para seu plantio de abundância na sua vida.


Eu estou ao seu lado. _/\_



Um abraço de Luz!


Leticia